background

MAAVI Innovation Center

Nós unimos a ciência e a natureza para criar as nossas soluções

O maior centro de pesquisa de biopesticidas, probióticos e prebióticos da Europa.

  • Mais de 5.000 metros quadrados de superfície

  • Mais de 2.000 metros quadrados de estufas

  • Mais de 40 pesquisadores em tempo integral

  • Colaboração com centros e organizações públicas e privadas

  • Equipamento de última geração

Almería está localizada no principal motor da ciência, com o maior Centro de Pesquisa em biopesticidas, prebióticos e probióticos na Europa. Estas unidades de última geração, localizadas em Vícar, contam com mais de 5.000 metros quadrados dedicados à P&D&I, que nos permitem ser mais competitivos e alcançar o nosso objetivo final: substituir o uso dos produtos químicos, oferecendo soluções naturais superiores.

O Centro de Pesquisa recebe apoio financeiro do Ministério da Economia, da Junta da Andalucía, através da Agência Idea, e da prefeitura de Vícar, com recursos da União Europeia.

A transformação é visível, e estamos orgulhosos de poder oferecer mais trabalho, mais riqueza, mais pesquisa e mais saúde à nossa região, e deixar a melhor herança possível para as gerações futuras.

video

Áreas de pesquisa

O Centro de Pesquisa possui 4 grandes áreas: botânica, microbiologia, microalgas e química verde. Os ensaios são realizados numa estufa com mais de 2.000 metros quadrados, e numa área para culturas ao ar livre.

Áreas de pesquisa

Tecnologia de ponta

Descubra o nosso centro de pesquisa

<ul>
<li>Identificação de novas cepas com atividades biopesticidas, bioestimulantes ou simbióticas.</li>
<li>Manutenção de uma coleção de cultivos próprios.</li>
<li>Seleção de substratos de cultivo.</li>
<li>Otimização das condições de crescimento.</li>
<li>Obtenção de starters para inoculação em grande escala.</li>
<li>Obtenção de pequenas amostras de biomassa para aplicação nos ensaios e elucidação da sua composição.</li>
</ul>

Área de cultivo das microalgas

<ul>
<li>Identificação de novas cepas com atividades biopesticidas, bioestimulantes ou simbióticas.</li>
<li>Manutenção de uma coleção de cultivos próprios.</li>
<li>Ensaios de atividade antibiótica dos extratos vegetais de origem fermentativa e de origem nas algas.</li>
</ul>

Área de microbiologia

<ul>
<li>Ensaios sobre as células de mamíferos.</li>
<li>Toxicidade in vitro.</li>
<li>Bioprevenção: estudos que demonstram a atividade saudável das plantas cultivadas em sinergia com certos microrganismos, com aplicação dos bioestimulantes, entre outros.</li>
</ul>

Área de cultivos celulares

<ul>
<li>Estudo das condições de cultivo de todos os tipos de microrganismos.</li>
<li>Seleção dos substratos de crescimento.</li>
<li>Geração de metabólitos secundários aplicáveis à agricultura.</li>
</ul>

Área de fermentações

<ul>
<li>Elucidação de novas moléculas ativas.</li>
<li>Monitoramento da qualidade dos extratos provenientes da botânica, das microalgas e das fermentações microbianas.</li>
</ul>

Área Analítica

<ul>
<li>Ensaios de estabilização dos ativos.</li>
<li>Estudos de estabilidade físico-química ao longo do tempo.</li>
<li>Preparação de amostras para ensaios nas estufas e no campo.</li>
</ul>

Área de formulação

<ul>
<li>Classificação das amostras</li>
<li>Moagem e condicionamento do material biológico.</li>
<li>Pré-tratamento do material vegetal, hidrólise parcial, entre outros.</li>
</ul>

Área de extrações I

<ul>
<li>Ensaios de extração de diferentes matrizes.</li>
<li>Concentração, separação das frações.</li>
<li>Geração de frações para estudos bioguiados.</li>
</ul>

Área de extrações II

<ul>
<li>Desenvolvimento em pequena escala de ensaios nas plantas em condições totalmente controladas, com a possibilidade de reproduzir as condições de qualquer área do mundo; além de gerar situações de stress extremo.</li>
<li>Capacidade de imitar os climas extremos desde -5ºC até 35℃.</li>
<li>De 0% a 100% de humidade.</li>
<li>Fotoperíodo controlado.</li>
</ul>

Área de fitotrons

<ul>
<li>Criação e manutenção de pragas confinadas.</li>
<li>Ensaios de atividade: Repelência e letalidade.</li>
<li>Vários modelos: Sugadores, desfolhadores, nemátodos, bactérias, fungos de solo, fungos aéreos, entre outros.</li>
</ul>

Área de pragas

<ul>
<li>Ensaio a nível semi-industrial da estratégia mais adequada para a produção de cada tipo de microalga.</li>
<li>Etapas prévias ao escalonado industrial.</li>
</ul>

Área plantas piloto fotobiorreatores

<ul>
<li>Escalonado a nível industrial dos desenvolvimentos anteriormente obtidos no laboratório.</li>
<li>Obtenção de biomassas ou sobrenadantes com atividades biopesticidas, antifúngicas, bioestimulantes, entre outras.</li>
<li>Geração de starters em grandes volumes para as fermentações de substrato sólido em grande escala.</li>
</ul>

Área de fermentações industriais

<ul>
<li>Extração em grande escala das moléculas ativas de origem vegetal, microbiana ou origem nas algas.</li>
<li>Concentração a baixa temperatura das extrações realizadas ou dos meios de cultivo microbianos.</li>
</ul>

Área de extração e concentração industrial

<ul>
<li>Área de fabricação do meio de cultivo estéril.</li>
<li>Área de inoculação com esterilidade.</li>
<li>Área limpa de crescimento e amadurecimento em condições controladas.</li>
<li>Capacidade de produção de mais de 500.000 litros por ano.</li>
</ul>

Área de fabricação dos probióticos

<ul>
<li>Execução de todos os tipos de ensaios em plantas saudáveis e doentes.</li>
<li>Fotoperíodo controlado.</li>
</ul>

Área das estufas

Compartir
preloader